A Forbes recomenda a Aprendizagem Experiencial

De acordo com um recente artigo da Forbes (Why Experiential Learning Should Be Part Of Your Employee Training, June 27, 2017), em que são auscultados membros do seu Conselho de Coaches, são várias as razões pelas quais deve optar por metodologias experienciais, das quais destacamos:

• Devemos confiar nos especialistas: Einstein disse: “A única fonte de conhecimento é a experiência”. Aristóteles disse: “As coisas que temos que aprender antes de podermos fazê-las, aprendemos fazendo-as.”

• Transporta-nos para lá da teoria, na medida em que nos permite visualizar de imediato o resultado da nossa atuação e, em função disso, corrigir e de novo perceber o impacto das melhorias introduzidas

• Permite a aprendizagem pela própria experiência e posterior autorreflexão, o que aumenta o potencial de se produzirem insights memoráveis que conduzem a mudanças na ação

• Facilita a reflexão sobre o que funciona e o que não funciona, tornando a aprendizagem organizacional muito mais rápida e efetiva

• A experiência partilhada desenvolve a consciência dos comportamentos, permitindo que todos aprendam com todos, num espaço seguro e sem consequências negativas

• As emoções que são vivenciadas ao longo da experiência facilitam as conexões cerebrais geradoras de memórias que se prolongam no tempo. A formação que não tem associada prática, arrisca-se a nunca ser aplicada

• O ROI consideravelmente superior. A retenção é muito maior quando os participantes têm a oportunidade de praticar. Combinando isso com reflexão e feedback conseguimos o modelo de formação com maior probabilidade de maximizar o ROI